domingo, 11 de outubro de 2015

Ser– tão


Sou da terra de um povo resistente
Que já traz no semblante a sua sina
De lutar da maneira mais divina
Enfrentando com garra o sol ardente.
Onde a seca malvada predomina
Nove meses do ano vorazmente
E a paisagem que tem neste ambiente
Sem piedade ela logo descortina.
Porém quando do céu a chuva desce
Tudo em volta depressa refloresce
Espantando pra longe essa aflição.
E em três meses de encantos e bonanças
O meu povo renova as esperanças.
Quer saber de onde eu sou? Sou do Sertão!


Edcarlos Medeiros
Caicó/RN – 10 de outubro de 2015.

Nenhum comentário:

Postar um comentário